02/12/2014

A Última Musica (The Last Song)


Como vocês já devem ter percebido, eu sou meio viciada nisso; em ficar comparando o que vivo com o que li nos livros ou vi nos filmes. Isso  já faz parte de mim.. É uma forma de ajudar a entender coisas na vida que parecem não ter resposta. É aí que eu recorro a uma dessas histórias e isso meio que me conforta, me trás a sensação de ser compreendida, pelo menos pelo autor.  Poque pensando bem, se alguém no mundo foi capaz de criar uma história que se parece com você, por algum motivo, isso acaba te ajudando. Aí o autor acaba te entendendo tão bem que vira seu Autor-Gênero preferido!


Quantas vezes na vida voce já teve que decidir se afastar de alguém que realmente amava, pra tentar protege-la de si mesmo? Porque será que pensamos isso? Será mesmo que é o caminho mais fácil, decidir seguir em frente, e deixar quem se ama pra trás, ou simplesmente deixá-la sem saber se ela também queria isso? Porque algumas pessoas te fazem sofrer se estão perto, enquanto outras fazem o mesmo por estar longe?

Com a Ronnie foi mais ou menos assim.. Ela teve que deixar a pessoa que amava (Will) ir embora, porque pensava que seria o melhor a fazer. O melhor pros dois, por causa de tudo que os impedia de ficar juntos (pequenas conquistas, diferenças, mal-entendidos, palavras pela metade, caminhos diferentes, sonhos a realizar?) Só que, Graças a Deus, a história não termina por aí..

Nosso maior erro é tentar afastar quem amamos

Sabe o que podemos ganhar numa dessas? Perder a pessoa mais importante que já conhecemos. Sim, porque uma hora, depois que o sofrimento passa, ela vai ter que seguir em frente, e nessa de seguir em frente, ela pode acabar encontrando alguém por  quem, talvez nem ame tanto, mas só por causa da fragilidade do momento, acaba aceitando esse novo amor.

Okay! Posso estar exagerando agora, criando meio que um enredo das histórias de amor que estamos acostumados a ler nos livros do Nicholas. Mas a verdade é que, se fosse a minha história... Se fosse comigo.. Se eu fosse escrever sobre um amor que tinha tudo pra ser verdadeiro - mas que por causa das circunstancias, teve de ser deixado pra depois -, eu criaria um final bem no estilo Ronnie-Will. Quem não gostaria, me digam? Quem não ficaria pulando de alegria - tal como me senti quando acabei de ler o livro - de ver que,  apesar de tudo que podia ter tirado um do caminho do outro (a la Diário de uma Paixão), nada foi suficiente para que aquela linda história de amor tivesse fim, bem ali, mal tendo começado.

Se afastar da pessoa que a gente ama pra quê?

É sempre assim, depois que a história acaba a gente fica tentando criar continuações da história.. Imaginando o que teria acontecido depois. Mas, como disse, se fosse a minha história, meus protagonistas dariam um jeitinho de continuar, mesmo que a distancia e o tempo conspirassem contra eles:

Talvez morassem, até na mesma cidade - dependendo do curso que escolheriam pra faculdade - morariam a uma distancia suficiente para que pudessem bater na porta um do outro, quando batesse a saudade. Com o trabalho e estudos, talvez ocorresse de se verem menos do que se possa imaginar, mesmo estando na mesma cidade. Ainda assim, meus protagonistas dariam um jeitinho. Todo final de ano e férias, iriam juntos visitar a família, até que os ano passassem voando pra eles. Quando dessem conta teriam terminado a faculdade. Olhariam nos olhos um do outro e veriam que toda a felicidade do mundo estava bem ali. Eles não conseguiriam imaginar a vida sem que os dois estivessem juntos. Ele a acordaria numa manhã de um dia qualquer, ela ainda de pijamas e cabelos bagunçados, ficaria surpresa ao vê-lo ali aquela hora da manhã, a acordando de joelhos ao pé da cama com uma rosa roubada do vizinho. Não era seu aniversário, então ele faria AQUELA PERGUNTINHA, e advinha? SIM!!! Eles se beijariam e sairiam pra marcar a data, e se casariam 2 semanas depois - já tiveram bastante tempo pra saber que tudo o que queriam era estar junto um do outro - O casamento seria num finalzinho de tarde. Um casamento simples, porém lindo. Os melhores amigos e suas famílias estariam numa só alegria. Viajariam para algum lugar lindo do mundo que eles sempre sonharam em conhecer juntos - economizaram os 5 anos do namoro, para que pudessem conhecer-los juntos. Um ano depois nasceria o primeiro dos três filhinhos que iriam ter. Não seria uma vida perfeita, mas contanto que estivessem um do lado do outro, enfrentariam juntos qualquer que fosse as adversidades. Porque a força desse amor, ninguém derruba, ninguém destrói. 💙

(Pelo menos no meu "conto de fadas" seria assim!)

2 comentários:

  1. Adorei as observações Yasmim, esse com certeza eu considero a melhor história do Nicholas. Estou aqui visitando seu blog e já adicionei na barra dos favoritos, pois gostei muito.

    ResponderExcluir
  2. Ownt Larissa! Que linda <3
    Adorei saber que voce gostou tanto assim de meu blog..
    Tbm sempre os seus textos, e amo. Bjs bjs

    ResponderExcluir

Inspiraflor | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR