31/12/2014

Resenhando: A Probabilidade Estatistica do Amor á Primeira Vista (The Statistical Probability of Love at Firt Sight)



A Probabilidade Estatística do Amor á Primeira Vista

Como não se apaixonar também? Como não devorar o livro praticamente todo em uma só noite? - foi exatamente o que aconteceu comigo! HA - Foi minha última leitura de 2014, mas com certeza vai ficar marcado pra mim como O LIVRO: O livro mais rápido que já li, e que não chega a ser o melhor, mas chegou bem perto.


O que mais me chamou atenção no livro, não foi tanto a Hadley ter chegado atrasada e o destino se encarregar de colocar o Oliver (muito fofo gente! já quero um Oliver pra mim também) na vida dela, pra mim foi mais interessante a mudança de Hadley, e o mais incrível de tudo,é a história se passar em apenas 24 horas.

Me identifiquei totalmente com a Hadley, como se ela me fizesse perceber que entendia perfeitamente o que estava sentindo em relação ao pai dela. A magoa que ela carregava dele, por ele ter abandonado ela e a mãe, por ter seguido em frente, enquanto ela não conseguia compreender o porque de ele ter feito isso. Hadley odiava a madrasta (Charlotte), mesmo sem nunca a ter visto.

No começo ela fazia parecer que tudo estava mesmo dando errado. Perder o vôo por ter chegado 4 minutos atrasada no aeroporto. Como se já não fosse o bastante, ter que ir forçada pela mãe a ir ao casamento do pai. Isso tudo era uma tortura pra ela - e pra mim também, vou confessar que estava super do lado dela, com relação ao que pai dela fez - Mas, conforme voce conhece o pai dela, entende a história, vê o quanto ele não podia evitar isso (em parte) . Voce começa a entender que as coisas são do jeito que são por um motivo.



O que dizer do Oliver? Ah, confesso que não me importaria nada em conhecer um Britânico tão .. tão.. Oliver! Tipo, é bonito, inteligente, bem humorado, e um tanto persistente também! Oque me fez gostar ainda mais dele, porque a Hadley estava tipo "tô nem aí pra voce" "já tenho problemas demais" "não venha com gracinhas pra cima de mim". Só que ele meio que acaba mudando isso nela, desperta nela um interesse repentino por ele.

" Será que é possível, de repente, descobrir o tipo de que voce gosta, mesmo quando se acha que nem tem um tipo? " Pág, 37

Ele fica perto dela o tempo todo, puxa assunto, tira sarro dela por causa dos medos malucos que ela tem (tipo de maionese), enfim ela começar a ficar interessada por ele também. Eu sou suspeita pra falar, mas eu gostei demais dos dois, da Hadley especialmente. Gostei muito da personalidade forte dela. No começo ela era uma personagem bem durona, e tal - dá pra entender - mas, tudo começa a mudar pra ela nessa viagem, e o Oliver tem certa influencia nisso. É como se ele a ajudasse a perceber que, se o destino o trouxe - com um problema maior que o dela com o pai -, tem uma razão pra isso. Talvez o pai dela nem fosse tão ruim quanto parecia, no começo (ela o culpava pela dor que sentia, e com razão!). Para Oliver, sim, talvez já fosse tarde pra tentar reconstruir algum vinculo com o pai dele, mais para ela não.

Tenho certeza que voce vai se apaixonar também, por esse livro fofo e encantador, que já chama a atenção da gente já pela arte da capa (perfeita). Ele vai te deixar com aquela sensação de AH NÃO.. JÁ ACABOU?! Então, fico por aqui. Boa leitura!

      Outras capas ao redor do mundo:
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Inspiraflor | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR