11/09/2015

Refletindo: O Essencial é invisível aos olhos (O príncipezinho e seu futuro planejado)



“O essencial é invisível aos olhos" - 
Ensinou a raposinha ao Pequeno Príncipe.
Só que as pessoas confundem isso o tempo todo! Confundem O QUE É REALMENTE ESSENCIAL com coisas tão triviais e passageiras. Enquanto lia algo em um blog de que gosto muito, de repente vi que conhecia bem essa história, e não era só por já ter lido o livrinho de Antoine Exupéry que não é segredo pra ninguém que o tenho como dos meus favoritos, aqui com suas palavras praticamente escritas em meu coração, mas também reconheci essa história por vê-la acontecer todos os dias, aqui bem pertinho de mim! Pensei nisso e em quantas vezes na vida podemos estar uns na vida dos outros sem realmente parar pra pensar no que de verdade deveria importar. Isso é como um reflexo que na maioria das vezes nossa própria família são os primeiros responsáveis por deixar marcas em nós. Algumas que iremos carregar pra vida inteira.

O essencial passou a ser agora outras coisas (literalmente).  Daqui de onde estou vejo mães e pais que não permitem mais que seus filhos tenham infância. Vejo um principezinho em especial que desde bem cedinho já têm seu futuro planejado. Me diga, que necessidade tem? Porquê uma criança que nem seque sabe o motivo de se estar no mundo, precisa sair pra estudar fora desde cedo?

 É TUDO PARTE DE UM FUTURO PLANEJADO

 Se tem uma coisa que me deixa irritada é ver as pessoas tratando crianças como gente grande, um mini-adultinho que desde cedo já é obrigado a carregar nas costas um peso que não deveria estar nem de noite em seus pesadelos. O peso das responsabilidades, de ter que ser perfeitinho. Ser tudo aquilo que o mundo diz que tem que ser.

Não sei de nada sobre ser mãe,  visto que ainda não tenho meus próprios filhos, mas eu sei bem o que é SER FILHO e sentir falta da presença e da companhia de um pai ou de uma mãe, quando eles têm que trabalhar demais pra garantir um futuro pra gente. É o que os pais costumam dizer, não é? Tem mais uma coisa que sei bem: sei  que a verdade é que o coraçãozinho daquele principezinho que inspirou essa reflexão, estaria mais feliz se pudesse estar ao lado dos pais. Em casa. Pais que não percebem o quanto a falta deles é dolorosa. Ele ainda nem sequer entende porque precisa morar na casa de algum parente de cidade grande! Consigo vê-lo daqui, contando os dias (nos dedinhos) pra que chegue o fim de semana ou o próximo feriado para poder correr pra casa, para O ÚNICO LUGAR DO MUNDO onde gostaria de estar. E deveria estar!

3 comentários:

  1. OI SEU BLOG É LINDO,ESTOU SEGUINDO SEU BLOG,SIGA MEU BLOG TAMBÉM OBRIGADA BEIJOS

    BLOG:http://artesanatodanil.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn *-* Obrigada, Amadinha! Pode deixar que vou lá curiar o seu tbm, Super Beijos

      Excluir
  2. O livro do pequeno príncipe traz uma bela mensagem <3 E o seu texto diz muito sobre a realidade, essa inversão de valores no qual, as coisas materiais são mais importantes que sonhos, pessoas e momentos!

    Beijos, Dai.
    http://colorindonuvens.com

    ResponderExcluir

Inspiraflor | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR