02/11/2016

A Estrela que nunca vai ser apagar (Esther earl)

  A ESTRELA QUE NUNCA VAI SE APAGAR

Bem, esse sem sombra de dúvidas é uma daquelas resenhas sentimentais, das quais eu enrolei 'mil anos' pra escrever, porque geralmente isso acontece quando um livro tem uma carga emocional muito grande e quando me toca bastante. Estranho, eu sei, mais são sempre as resenhas dos livros mais difíceis de fazer. 

Esther Earl, foi a história da vida e da luta dessa menina querida que tocou de forma tão grande o meu coração, me emocionou.. É claro que eu chorei rios, quando a luta dela vai chegando ao fim, principalmente o fato de que algumas partes do diário retrata a visão do lado das pessoas que viviam ao seu lado.. Sua família.

E eu conheci, assim como a maioria das pessoas, por causa de TFIOS (A Culpa é das estrelas)  e pelo John Green ter se inspirado na luta dela, pra escrever sua Hazel Grace (Nome da Esther também tem Grace, so por curiosidade se voce quiser saber..) Eu, não sei porque, talvez por também sempre ter escrito em diários a vida toda, eu meio que gosto de ler biografias, mesmo quando elas são bem carregadas de drama da realidade e tendem a te arrancar rios de lágrimas (como "O Diário de Anne Frank) O fato é, que em um dado momento, voce se sente tão próxima da pessoa, que parece que esta lendo cartas direcionadas a voce, por algum motivo, de um amigo muito querido, entendem? 

  ESTHERZINHA (ESTRELINHA)

Assim, esses dias perdi algo muito importante na minha vida, a minha ''filhinha'' (era uma gatinha, uma querida que era como uma filha) e quando passou o momento da dor, eu pensei nela e em como foi difícil pra família dela, de repente chegar um momento em que ela não se encontrava mais lá ao lado deles. A Estrelinha de maior brilho, que apesar das dores que também suportavam por lutar ao lado dela, tenho certeza que tê-la na vida deles, mesmo por um tempo breve, valeu mais que qualquer riqueza que alguém poderia querer. 

Quando a minha tristesa por não ter mais A SHANDYA lá pra acordar todos os dias do meu lado e poder abraçar que nem a Felícia (Oh gente, ela reclamava, mas eu sinto muita falta desas pequenas coisinhas agora), eu só podia pedir uma coisa a Deus: que ele cuidasse dela por mim, lá no seu Reino, que eu me sentia grata por num dos momentos mais obscuros da minha vida (as crises existenciais e depressão), Ele me trouxe ela de presente, como um anjinho precioso que eu precisava pra ajudar a passar por aquilo tudo. E eu melhorei, e ela permanecia fiel e ao meu lado com seu amor lindo e incondicional. Então tudo que eu posso é agradecer ao Senhor pela vidinha dela (mesmo tão breve pra mim que gostaria que ela vivesse muitos e muitos anos ao meu lado), e pedi para que ela, assim com a Estherzinha pra família dela e pra todos que a amavam, agora está lá no céu, como um ESTRELINHA, trazendo seu brilho pra nós que ainda estamos aqui. 

Então, essa é minha resenha/desabafo-sentimental, mais uma pequena homenagem, pra Estherzinha e pra minha pequenininha (Shandya) talvez um exagero, mas do fundo do coração, é com os mais sinceros sentimentos. Espero que se voce ainda não leram o "A Estrela que nunca vai se apagar"  mas se são fãs de A Culpa, e dos livros do John, voce não pode deixar de ler essa verdadeira história e lição de vida que foi a de Esther Grace Earl.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Inspiraflor | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR