08/03/2018

Quero ser vintage (Lindsey Leavitt)

 
    QUERO SER VINTAGE

Esse livro foi o primeiro livro que li no ano (2018) e deu a largada a minhas leituras desse ano. Fazia tempos, talvez anos que tinha ele guardado e nunca tinha um momento pra ele, mas então no começo do ano decidi que era hora dele. E posso adiantar pra vocês que foi uma das melhores escolhas.

Mallory me lembrou muito a mim mesma alguns anos atrás quando depois de uma decepção amorosa, decidi abrir mão de muita coisa e dar um tempo pra mim mesma. Nessa época também foi uma época de muitas decisões importantes, como a mudança de vida e a desistência de um curso na faculdade que não fazia por amor. Aquele ano foi meio ''vintage'', posso dizer isso agora! Eu também me afastei das redes sociais pois me machucava ver coisas dessa ex pessoa que tanto me fez mal. Só que diferente de Mallory, eu meio que me fechei por um tempo, o que me levou a ficar depressiva, até eu realmente encontrar algo que pudesse focar minha vida e me animar novamente, algo que eu realmente gostava. 

Se bem que para Mallory a vida vintage surge também depois de uma traição, mas logo ela encontra a lista da avó que se torna um objetivo que ajuda a conseguir realizar todas as coisas dela e nesse processo ela se recupera bem rápido, pois por causa dos objetivos da lista, ela pode conhecer verdadeiramente pessoas incríveis que ajudaram a realizar isso mesmo que não soubessem dos verdadeiros motivos. 

Eu bem que queria ter uma lista naquela época, pensando bem agora. Quando voltei a morar na casa dos meus pais em decorrência da desistência da faculdade eu acabei ficando em depressão pois não tinha outro objetivo na vida, até tinha, mas não via como podia conseguir naquele momento. Eu realmente precisei de ajuda, até poder encontrar pessoas, amigos que conheci depois que naquele ano foram essenciais pra minha volta ao mundo real. 

O grupo de jovens da igreja, o trabalho que me arrumaram temporariamente na secretária da igreja, o novo crush, as aulas de violão.. Acho que tudo isso, sem querer, foi a minha lista. Até eu conseguir tempo suficiente pra ficar melhor e tentar a prova no curso que queria de verdade. 2 anos depois, estou aqui, no 5º período, muitas lutas de lá pra cá, pessoas maravilhosas tenho conhecido, e outras infelizmente não posso ter por perto, mas sem querer querendo, novamente tenho minha lista de objetivos na vida e meus amigos e família sem querer também são parte disso. 

Acho que todo mundo na vida, assim como eu e a Mallory, depois de uma grande decepção, e fases de mudanças na vida, deveriam ter sua lista. Deveriam traçar suas metas e lutar por seus objetivos, focar em si e deixar de sofrer ou se importar demais com quem não merece. Enfim, esse livro foi especial, porque apesar de uma história leve e pequena, Mallory mostrou de forma humorada como ela superou coisas que para muitos parecem não ser possível. E também me fez relembrar como foi comigo quando passei por algo parecido.

 E, claro que se fosse hoje e eu soubesse de tudo que sei depois que passou a situação, e eu pudesse escolher, com certeza escolheria encarar as coisas de uma maneira mais leve e divertida, faria minha listinha e lutaria por ela. Deixaria a deprê bem longe. Mas é assim mesmo, tudo isso faz parte. É assim, depois de cada situação, um aprendizado. Tudo isso te faz alguém melhor e te torna mais forte, capaz de driblar outra situação que possa surgir em outro momento da vida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Inspiraflor | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 | POR:
NOS VISITEVIRANDO AMOR